Dicas práticasEstilo de Vida

Divórcio: organize as finanças

Dar de cara com as finanças bagunçadas é um dilema muito comum depois da separação. As contas vão continuar chegando, talvez o padrão de vida seja modificado por um período e você vai se deparar com novas responsabilidades. O mais importante nesse momento é deixar o emocional de lado e colocar todos os custos no papel e, claro, comprar com o que você ganha.

‘Organizar as finanças inclui ter momentos de lazer’ – Carol Sandler

Verifique tudo o que é possível cortar e o que é necessário manter. Lembre-se que isso é só uma fase, até você se adaptar ao novo padrão de vida. Toda separação é difícil. Além da dor, das preocupações práticas com crianças e logística, você muito provavelmente vai passar pela fase de ‘não saber como pagar as contas’. Mas não precisa ser tão duro.

LEIA TAMBÉM: Como abrir um negócio com até R$ 5 mil 

Com algumas atitudes básicas você vai conseguir organizar sua vida financeira e criar mais leveza para a sua vida. Uma das técnicas ensina, inclusive, que uma parte do seu dinheiro precisa ser para lazer. Ninguém vive só para pagar contas. Compreender isso vai te ajudar a ter uma saúde financeira mais saudável e menos dolorosa para organizar os custos.

CLIQUE NAS IMAGENS PARA CONFERIR AS DICAS!

*Curta a FANPAGE da Escola de Você

*Siga o Tempo de Mulher nas redes sociais: Facebook / Twitter / Instagram

*Curta a FANPAGE da Ana Paula Padrão

  • Corra atrás dos seus direitos: se você tem filhos com seu ex-marido, pode pedir pensão alimentícia – um apoio para suprir gastos com alimentação, moradia, saúde, educação, lazer e vestuário. Na leitura da Justiça brasileira, a responsabilidade com relação aos filhos cabe ao pai e à mãe, e isto deve ser feito de maneira proporcional com a renda de cada um. 
  • Saia da negação: muita gente sofre tanto com a ideia de não conseguir bancar o padrão de vida anterior que acaba fugindo das contas, mas elas não param de chegar. É hora de encarar de frente a situação e ver exatamente como anda a sua vida financeira. Você tem dívidas? Quanto ganha? Quanto gasta todo mês? Ao responder estas perguntas você vai ter um retrato exato de como está a sua situação, e é isto que vai te permitir montar um plano de ação.
  • Corte gastos: esse conselho é difícil de seguir em um momento tão dolorido quanto este, mas é a única forma de garantir que você não vai criar uma situação ainda pior para o seu bolso. Agora é a hora de cortar os gastos desnecessários e focar em pagar as contas mais importantes.
  • Cuidado com os mimos: não é raro, especialmente entre as pessoas que se separam, buscarem algum tipo de conforto externo, como adotar um cachorro, fazer uma viagem ou renovar o guarda-roupa. Se você prioriza este tipo de gasto antes de encarar suas finanças de frente, você pode piorar – e muito – a sua vida financeira. Que tal, então, estabelecer uma meta para juntar dinheiro e realizar este sonho? Assim você vai ter motivação redobrada na hora de cuidar do seu dinheiro.
  • Crie espaço para os supérfluos: ninguém aguenta só ficar pagando conta, você precisa ter um espaço no orçamento para gastar com aquilo que te faz feliz. Um dos métodos é o 50,30,20... ou seja, 50% do seu salário para os gastos essenciais (moradia, alimentação, saúde, etc), 30% para os supérfluos e 20% para guardar todo mês. Se você estiver endividada, a fórmula muda um pouco: 50% para essenciais, 20% para supérfluos e 30% para pagar as parcelas das dívidas, ok?
Carol Sandler