Beleza e SaúdeEstilo de Vida

Mitos e verdades da gastrite

Se você ainda não foi diagnosticado com gastrite, muito provavelmente conhece alguém próximo que tem esse problema, não é mesmo? Segundo a Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), estima-se que 70% da população do Brasil seja portadora da gastrite.

A doença é uma inflamação na mucosa do estômago [revestimento interno] causada, muitas vezes, pela bactéria ‘Helicobacter pylori’, popularmente conhecida como H. Pylori. Além disso, outras possíveis causas são, principalmente, alguns erros no hábito alimentar associados ao estresse.

LEIA TAMBÉM: Alimentos que ajudam a controlar a ansiedade 

Entre os principais sintomas da doença estão a sensação de dor na boca do estômago, náusea e ou vômitos. Mas não pense que no caso de uma gastrite basta ir ‘levando’ ou apenas trocar alguns alimentos para evitar incômodos.

De acordo com Sérgio Bizinelli, presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), é preciso decidir isso junto a um médico porque, no caso de quem precisa fazer tratamento, se o procedimento não for feito adequadamente o quadro pode evoluir até mesmo para um câncer.

H Pylori x gastrite

Segundo a Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), mais de 50% da população do Brasil tem a bactéria Helicobacter pylori no estômago – embora, ainda não existam evidências que permitam distinguir a relação de causa e consequência entre esse micro-organismo e a gastrite.

CLIQUE NAS IMAGENS PARA CONFERIR OS MITOS E VERDADES DA GASTRITE!

*Curta a FANPAGE da Escola de Você

*Siga o Tempo de Mulher nas redes sociais: Facebook / Twitter / Instagram

*Curta a FANPAGE da Ana Paula Padrão

 

  • A gastrite é hereditária - MITO. Fábio Thuler, mestre e doutor em cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, explica que a gastrite é causada, geralmente, por infecções ou alimentos que são irritantes para o estômago.
  • Chiclete piora a gastrite - VERDADE. Segundo o coordenador de diretrizes e protocolos da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), Claudio Lyoiti Hashimoto, o hábito de mascar chiclete e chupar balas estimula a produção de suco gástrico [líquido responsável por auxiliar na digestão] e, consequentemente, da secreção de ácido pelo estômago. Nesse caso, os sintomas de gastrite podem piorar. Mas é importante compreender que o hábito de mascar chiclete não é o fator que iniciou a gastrite.
  • Leite ameniza a dor da gastrite - MITO. Ainda de acordo com Claudio Lyoiti Hashimoto, Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), ingerir leite para reduzir a dor da gastrite é um mito. A ingestão da bebida fria pode amenizar o desconforto momentaneamente. No entanto, como o leite é um alimento rico em proteína e cálcio, que são estimulantes de ácido pelo estômago, pode até piorar a inflamação.
  • Medicamentos podem causar gastrite - VERDADE. Essa relação acontece principalmente no caso de anti-inflamatórios, conforme detalha o especialista. 'O estômago produz substâncias que protegem o próprio revestimento interno. Esses medicamentos prejudicam a mucosa e deixam o estômago mais sensível e suscetível a infecções. Desta forma, em alguns casos podem evoluir até mesmo para úlceras gástricas', aponta Marcos Belotto, cirurgião gastro-oncologista do Hospital Sírio Libanês.
  • A alimentação pode intensificar a gastrite - VERDADE! 'A má alimentação está ligada diretamente ao desenvolvimento da gastrite e é uma das principais causas', afirma Fábio Thuler, mestre e doutor em cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.
  • 'Entre os alimentos que mais interferem na doença da gastrite estão o café (este que relaxa o esfíncter do esôfago - um anel muscular -, provocando o refluxo, além de aumentar a produção do ácido); e refrigerantes (que agridem a mucosa que protege o estômago)', detalha Fábio Thuler, mestre e doutor em cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.
  • No entanto, Marcos Belotto, gastrocirurgião do Hospital Sírio Libanês, reforça que o café pode aumentar a irritação no estômago, mas não causar a gastrite. As pessoas, explica ele, confundem a irritação no estômago com a inflamação, que é a doença em si. 'A irritação causada pelo café e por outras substâncias pode piorar os sintomas para quem tem gastrite, por isso, precisa ser evitado', explica o especialista.
  • No caso dos refrigerantes, eles podem agravar os sintomas da gastrite também por serem causadores de irritação, uma vez que possuem um pH ácido. 'Além disso, aumentam o desconforto e distensão abdominal [sensação de abdômen cheio e inchado] devido a alta quantidade de gases', afirma Claudio Lyoiti Hashimoto, da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).
  • Ficar sem comer pode estimular a gastrite - VERDADE. 'Longos períodos de jejum podem acentuar os sintomas da gastrite, mas não necessariamente causar a doença', afirma Claudio Lyoiti Hashimoto, da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).
  • Gastrite nervosa existe - VERDADE. Quando uma pessoa está passando por momentos de tensão, o corpo aumenta a produção dos chamados 'hormônios do estresse' (cortisol e adrenalina). 'Isso, consequentemente, resulta na produção de ácido no estômago e um possível quadro de desenvolvimento da doença', destaca Fábio Thuler, mestre e doutor em cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.
  • 'A endoscopia digestiva e o raio-X do trato digestivo são procedimentos imprescindíveis para avaliar o aparelho digestivo. Mas somente a endoscopia pode coletar amostras para a realização de biópsias', reforça Claudio Lyoiti Hashimoto, coordenador de diretrizes e protocolos da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).
  • Existe cura para a gastrite. VERDADE COM RESSALVAS. 'As lesões agudas da mucosa gástrica, causadas pelo consumo frequente de álcool, uso prolongado de anti-inflamatórios ou até mesmo pela bactéria Helicobacter pylori (H. Pilory), podem ser reversíveis com a interrupção do fator irritante ou com a erradicação da bactéria. Mas a gastrite crônica, se evoluir para atrofia e metalepsia, é irreversível', explica Claudio Lyoiti Hashimoto, da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).
  • Entre os principais sintomas da gastrite, segundo Sérgio Bizinelli, presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), estão a azia, queimação, dor, sensação de estômago cheio, falta de apetite, náusea e vômitos.
  • Sérgio Bizinelli, presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), aproveita para fazer um alerta sobre o risco da automedicação, muito comum nestes casos. 'O uso de remédios, como os antiácidos, além de não ter garantia quanto a eficiência, pode trazer outros efeitos colaterais ao paciente. Por isso, é sempre aconselhável a supervisão de um médico e, se necessário, a realização de exames para um diagnóstico correto', afirma ele.
  • Inclusive Sérgio Bizinelli, presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), observa que a gastrite aguda geralmente é causada pelo uso de medicamentos e raramente pelo consumo exagerado de alimentos gordurosos, frituras ou carne vermelha.
  • 'Por sua vez, o uso exagerado de bebidas alcoólicas pode agravar o quadro da gastrite, assim como o uso contínuo de medicamentos fortes, orienta Sérgio Bizinelli, presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).
  • 'Desta forma, a gastrite crônica pode ser resultado de um tratamento não adequado da gastrite aguda. Outros fatores também podem piorar um quadro de gastrite, que estava no estágio inicial, entre eles o cigarro, estresse, cafeína, entre outros', recomenda Sérgio Bizinelli, presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).
  • 'Dependendo do tipo de gastrite, se o causador da lesão gástrica não for retirado, como no caso dos medicamentos anti-inflamatórios e álcool, a situação pode se agravar bastante, resultando em outros males como úlcera, gastrite crônica, atrofia gástrica e até mesmo câncer', conclui Claudio Lyoiti Hashimoto, da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva.

 

Redação