Estilo de VidaVariedades

Férias com o pet? Planeje!

Férias! O animalzinho de estimação já faz parte da família e não dá mais para deixá-lo de lado nessa hora, não é mesmo? Segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com donos de animais de estimação, 61% deles consideram os bichos como membros da família. Sem contar que eles podem trazer vários benefícios ao bem-estar dessas pessoas.

O Hospital Albert Einstein, em São Paulo, por exemplo, já libera a entrada desses pets para visita aos pacientes. Além disso, estudos apontam melhoras significativas na vida de quem convive com animais, especialmente no combate ao estresse. Um levantamento realizado pela Universidade Estadual de Nova York testou os níveis de tensão dos donos de animais de estimação em quatro situações. E os momentos mais relaxantes eram quando essas pessoas estavam com seu pet.

Itens que você não podem faltar na viagem de férias com o bicho

Algumas companhias aéreas já liberam a ida dos pets na cabine, junto com o viajante ou no compartimento de cargas. Mas tem um custo que varia entre R$ 200 e R$ 500 reais mais ou menos, dependendo do destino.

Então, bora curtir uns dias de folga com seu animalzinho de estimação? Preparamos algumas dicas para você não esquecer de levar nada.

CLIQUE NAS IMAGENS PARA CONFERIR AS DICAS!

  • Vai viajar com seu animal de estimação? ‘A primeira dica é não esquecer de alguns itens fundamentais, como a coleira/guia, a ração para o período exato da viagem, potinhos para água e comida, xampu e toalha próprios do animal, bem como a cama e brinquedos dele. Além disso, leve medicamentos de emergência e contínuos, se houver’, recomenda a veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h.
  • Segundo Priscila Brabec, médica veterinária da Pets da Ceva Saúde Animal, o ideal é manter o animal em local ventilado e fazer pequenas pausas no trajeto para evitar incômodos. ‘As paradas para as necessidades fisiológicas e pequenas caminhadas devem acontecer de duas em duas horas’, orienta.
  • A veterinária Aline Spina, do Hospital Veterinário Cão Bernardo, explica que é importante também ficar de olho no que o animal ingere no passeio e respeitar os limites. 'Não se deve forçar atividades físicas se o cachorro demonstrar cansaço. Fique atenta à temperatura do chão para não queimar as patinhas do animal', indica ela.
  • Antes de viajar, verifique se o animal está com as vacinas e vermifugação atualizadas. Um alerta da veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h, é que viagens para o litoral exigem prevenção contra dirofilariose (verme do coração). Já no caso de passeios em área rural, é importante a prevenção contra pulgas e carrapatos, além de cuidados com berne [larva de mosca] e picadas de insetos, que podem gerar reações alérgicas.
  • ‘No caso de viagem por carro ou avião, evite alimentar o animal para não causar enjoo’, observa a veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h.
  • Outras recomendações da veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h, é que se a viagem for de carro, o animal deve ser transportado no banco traseiro. 'Além disso, deve-se utilizar o cinto de segurança especial para animais de estimação ou colocá-lo numa caixa de transporte adequada', explica a médica.
  • Outro detalhe importante é que o ambiente dentro do automóvel deve estar fresco, indica Livia. 'O excesso de calor pode causar danos irreversíveis à saúde do animal. Em caso de viagens longas, recomenda-se parar a cada 2 horas para oferecer água e passear com o animal’, reforça a veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h.
  • No caso de avião, fique atenta às regras da companhia aérea quanto ao tipo e tamanho de caixa de transporte que é permitido, bem como se é exigida a sedação do animal. Algumas companhias permitem a viagem do pet na cabine em vez de ir no bagageiro. Outra dica da veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h, é ficar atenta sobre a documentação necessária para embarque, lembrando que o número de animais por voo é limitado.
  • Para viagens nacionais, alguns documentos são obrigatórios. Há, por exemplo, ‘o certificado de vacinação antirrábica para animais com mais de 4 meses de idade contendo o nome do laboratório produtor da vacina, lote e validade. Esta que deve ser aplicada há mais de 30 dias e menos de 1 ano da data da viagem’, destaca a veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h.
  • ‘É importante levar também um atestado de saúde emitido por um médico veterinário com informações sobre as condições de saúde e se o animal está apto para viajar. O atestado possui validade de 10 dias a partir da data de emissão’, indica a veterinária Livia Romeiro.
  • De acordo com Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário 24h,  para internacionais é fundamental ter o Certificado Zoosanitário Internacional (CZI) emitido pelo Ministério da Agricultura, gratuitamente, nos aeroportos. Para isso, agende com antecedência uma consulta para realização dos procedimentos necessários e emissão do documento. O prazo pode passar de 30 dias úteis.
  • Ainda no caso de passeios para o exterior é essencial ter um o atestado de saúde emitido por um médico veterinário; bem como levar carteira de vacinação atualizada; e documento de comprovação da aplicação do microchip, contendo o número, data da aplicação e localização, devidamente firmada pelo técnico responsável. Alguns países exigem exames e documentos específicos, além de realizarem quarentena na chegada do animal. É importante se informar antes’, reforça a veterinária Livia Romeiro, do Vet Quality Centro Veterinário.
Redação